Beleza Interior,

Mais Self-care fez de mim uma mulher melhor

Caso não tenham visto, eu passei uma temporada a cuidar de mim há alguns meses. Quando essa fase terminou, senti-me como nova e capaz de lidar com as diversas coisas que trazem stress à minha vida. Foi uma óptima fase para mim e imaginei como seria voltar à minha vida normal e trazer todo este relaxamento e esta gestão de stress para o meu quotidiano.

À semelhança do que acontece em grande parte da minha vida (se alguma vez leste algo que eu escrevi, é possível que comeces a ver um padrão Aqui!), deixei para trás, de certo modo, de cuidar de mim.

Eu costumo brincar com as pessoas que conheço e dizer que sei que a minha hora de deitar no relógio do meu iPhone é à 1:30 da manhã mas deitar-me a esta hora é quase um milagre. Eu normalmente durmo cerca de 4 ou 5 horas por noite, sendo que todos os dias estão repletos de actividades, projectos e listas do que tenho de fazer que parecem não ter fim (Eu já nem sei há quantos dias tenho “arrumar o meu guarda-roupa” na minha lista). Depois disto, quando chega o fim de semana, tendo fazer o máximo de coisas possível, desde ir ter com amigos, até ir ao supermercado fazer compras como deve ser e lavar a roupa. Eu cheguei ao ponto de ter de “agendar” uma hora para poder ver os meus programas favoritos.

Não me interpretem mal, eu adoro estar ocupada. Eu prospero em ambientes em que tenho pouco tempo para fazer as coisas e geralmente até faço os trabalhos melhor quando estou mesmo à beira de atingir o prazo limite (até na minha vida- o meu apartamento nunca está tão limpo como uma hora antes dos meus pais me virem visitar). Apesar disso, eu estou num ponto em que as minhas longas listas do que tenho para fazer, horários repletos e más noites de sono já não me ajudam a sentir-me realizada. Eu não desfruto do trabalho que faço, sinto que estou a distanciar-me dos meus amigos e da minha família, e sinto que não posso estar a sós em casa sem que esteja permanentemente a pensar numa lista de coisas que tenho a fazer.

Ao fim disto, finalmente farta desta ocupação constante e desta ausência completa de tempo para mim mesma, eu embarquei na mesma jornada de antes, mas desta vez usei um mês inteiro para cuidar de mim. Isto foi aquilo que aprendi e aqui têm uma explicação de como podem fazer o mesmo que eu!

Aprendi do que é que gosto mesmo
Depois de passar uma semana a cuidar de mim, comecei a ver do que é que gostava e do que é que não gostava. Toda a gente encontra diversão em coisas diferentes, durante muito tempo tentei de gostar coisas que não eram para mim porque era aquilo as pessoas que tenho à minha volta gostavam.

Focar-me em mim mesma durante um meses a fio só evidenciou este facto. Tentei ao longo destes meses experimentar coisas novas e diferentes, de todos os tamanhos e feitios.Isto fez com que eu deixasse de dedicar tempo a coisas que não eram para mim, coisas que simplesmente via outras pessoas a fazerem-nas no Instagram, e a descobrir o que é que EU queria fazer.

Aprendi a redireccionar os meus pensamentos

Eu luto muito contra os pensamentos negativos. Passo a maior parte do tempo em casa sozinha por isso é muito fácil perder-me nos meus pensamentos e analisar as coisas em excesso quando estou sozinha. Por causa disto, eu ultimamente tenho tentado sair mais com os meus amigos para me distrair, o que não tem tido um efeito muito generoso na minha carteira ou na minha saúde.

Dedicar tempo a mim mesma requer que eu faça uma gestão muito boa do meu tempo. Passando eu o dia todo a trabalhar e a noite com os amigos, não havia tempo para enquadrar estas mudanças no meu horário, mas eu estava determinada em completar este desafio. Gradualmente, eu fui me apercebendo não só de que aquilo que me levava a sair tanto com os meus amigos era a vontade de me abstrair dos meus pensamentos, como também de que dedicar tempo a mim mesma é uma maneira muito mais saudável (tanto para a mente como para o corpo) e natural de fazê-lo.

Este tempo ajudou-me a afastar todas a negatividade que me consumiam. Em vez de passar tempo a dissecar AQUELE detalhe mínimo da conversa que tive com os meus amigos há 4 meses, dedicava algum tempo a mim mesma. Com isto, deixei de pensar tanto naquilo que não consigo controlar.

 

Aprendi a celebrar

Por mim mesma, por todas as pequenas conquistas por tudo aquilo que eu sou e me tenho tornado. E não necessariamente presentear-me por algo em especifico que tenha acontecido como planeei, mas sim celebrar por tudo aquilo que faça, porque sei que fiz sempre o melhor que consegui. Porque o meu “eu” merece. A Simone independente e batalhadora merece.

Aprendi a construir hábitos positivos na minha rotina, como afirmações positivas e pensamentos positivos sobre tudo aquilo que me acontece.  E só por isso já posso celebrar. Obriguei-me a interiorizar  que na vida podemos ver o copo meio cheio ou meio vazio. Eu prefiro ver meio cheio. Ou pelo menos tento.

Deu-me mais clareza!

Sim por vezes a minha cabeça pareça a imagem de um computador com imeeensas janelas abertas. Mas aprendi com o tempo a minimizar tudo aquilo que causa ansiedade. Acima de tudo a perceber o que me causa esse stress e essa mesma ansiedade, para poder confrontar essas situações individualmente. Basicamente “arrumar a casa”, ou seja pores a tua vida em ordem primeiro, e depois com clareza resolver um problema de cada vez.

Mudou a minha perspectiva do que Self-care é.

Exacto, self-care é mais do que um dia no spa, um dia para encomendar pizza, mais do que comprar roupa, mais do que viajar. Self-care deve ser um estilo de vida. Cuida de ti deve ser um hábito diário. Uma maneira de seres o melhor que consegues por ti mesmo, todos os dias da tua vida. É uma questão de viveres melhor, assim como uma dieta. Self-care é o melhor que tu podes dar a ti mesmo enquanto ser humano. Sê generoso contigo mesmo primeiro. E saberás lidar melhor com tudo o resto depois.

PN

0no comment

Leave a Reply